Educação Financeira, quando começar?

Por Viviane H. Ferreira Rossi
Psicóloga – CRP 56900

 

Uma dúvida bastante comum dos pais de crianças em idade escolar, é se devem ou não oferecer a mesada para os filhos e em qual idade começar.

Em uma sociedade consumista como é a da atualidade, é preciso pensar que a educação financeira faz parte da boa formação dos pequenos. Ao ensinar a lidar com o dinheiro, os adultos colaboram na maturidade das crianças, fazendo com que elas deem valor ao que possuem e que possam planejar como conseguir algo que almejam. Assim, também desenvolvem as habilidades de economizar, esperar e tomar decisões. Além disso, juntando seu dinheirinho, as crianças vivenciam as operações matemáticas de maneira indireta e agradável.

Algumas famílias poupam os filhos de muitas vivências. Há crianças que, por exemplo, não tem nenhuma noção de que água, luz, telefone, alimentação, roupas e brinquedos tem um custo, financiado pelo trabalho de alguém. É importantíssimo que elas, gradualmente, aprendam o real valor de que tudo tem. Mesmo as famílias bem abastadas precisam pensar nisso – ter dinheiro no presente não significa ter conforto no futuro. Lidar com conquistas, adversidades, dificuldades e obstáculos fortalece o bom desenvolvimento do ser humano.

Outra questão que também chama muito a atenção, é que algumas crianças maiores (com mais de sete anos) não conhecem o dinheiro brasileiro, tampouco outras moedas, como dólar, euro, peso, etc. Não é preciso viajar para isso – basta ler para a criança, buscar imagens na internet, contar como a economia de outros lugares tem maneiras diferentes de ser, etc.

Um bom início para a vida financeira dos pequenos é pela “semanada”, ou sejam oferecer uma quantia por semana. Por volta de cinco anos de idade é possível começar. Para cada ano completo, recomenda-se um real. Portanto, aos cinco anos, o valor ideal a ser recebido é de cinco reais e assim por diante. antes dos dez anos, é cedo para oferecer “mesada” (uma vez ao mês), pois a criança não tem maturidade para administrar um determinado valor durante um mês inteiro.

Uma sugestão para ensinar a poupar é pesquisar junto com a criança o que ela gostaria de comprar com seu próprio dinheiro e fazer as contas: quanto precisará, quanto tempo terá que ficar sem gastar, como se organizar, etc. Dessa forma, a criança ganha em mais um aprendizado: aprende a diferenciar as compras por desejo, necessidade ou impulso.

Enfim, é importante, saudável e construtivo ensinar as crianças a lidarem com o dinheiro desde pequenas, pois o aprendizado vai muito além do financeiro.

Algumas atitudes importantes:

  • ensinar para os pequenos a sequência numérica, pois para entender o dinheiro eles precisam conhecer os números e fazer pequenos cálculos;
  • explicar que a mesada e a semanada não são presentes, mas instrumentos de educação;
  • iniciar os cálculos pelas operações mais simples (adição e subtração), com pequenas contas;
  • ensinar os filhos a reconhecer as quantidades, fazendo associações aos números;
  • mostrar para a criança notas e moedas do país em que mora e contar que em outros países é diferente – se possível, mostrar as estrangeiras (em espécie) ou em imagens da internet;
  • brincar com jogos divertidos que envolvam quantidades de dinheiro, como Banco Imobiliário, Jogo da Mesada, Operando, etc;
  • levar a criança para uma loja de algo que ela goste (brinquedos, livros, roupas, games) e, junto com ela, pesquisar, anotar os preços do que gostar e explicar como a aquisição pode ser realizada através do seu próprio dinheiro;
  • familiares muitas vezes gostam de dar dinheiro para as crianças, mas é preciso ter cuidado para não exagerar no valor oferecido, para não desvalorizar a semanada e a mesada e acabar transformando o dinheiro em uma fonte de conflitos;
  • depois que aprenderem que tudo tem um custo, pode-se ensinar que é preciso economizar nos gastos domésticos, como água, luz, telefone, alimentação, produtos de higiene, etc;
  • é interessante oferecer um cofrinho ou uma carteira para a criança guardar o seu dinheiro e designar um local em casa para isso;
  • para a segurança e confiança da criança, combinar um dia certo da semana ou no mês que ela receberá seu dinheiro e cumprir adequadamente esse combinado;
  • o exemplo é a melhor maneira de se ensinar – poupando e economizando, se ensina a dar valor no que tem e fazer planos para o que quiser conquistar.